quarta-feira, 31 de março de 2010

Feliz Páscoa

Assalto aos Correios em Acari/RN

A Polícia Federal está sendo aguardada na cidade de Acari/RN, para começar as investigações em torno do arrombamento da agência dos Correios ocorrido na madrugada de hoje, quarta-feira, 31 de março.
As informações que a polícia militar repassa dão conta que os bandidos pularam o muro e arrombaram a parede lateral que dá acesso a recepção do prédio, mas, antes cortaram os fios do sistema de câmeras e de alarmes. Depois, seguiram para o cofre que foi arrombado provavelmente com o uso de um maçarico.
Os bandidos levaram todo o dinheiro que estava sendo utilizado para o pagamento dos aposentados.
O montante levado pode chegar a 15 mil reais. No local, o funcionário que chegou primeiro a agência disse que foram deixadas notas de dinheiro que caíram no momento da fuga provavelmente.

Fonte: Blog do Davi Neto http://davineto.blogspot.com

segunda-feira, 29 de março de 2010

Formação de Professores da Escola Ativa

Como a formação antecedeu o meu aniversário, aproveitamos para comemorar no encerramento!

Todos muito concentrados ao redor da grande mesa


CENTRO MUNICIPAL DE ENSINO RURAL PROF. RAIMUNDO GUERRA

- CICLO PEDAGÓGICO 2010

MOMENTOS DE ESTUDOS, REFLEXÕES E VIVÊNCIA

As atividades do ciclo pedagógico 2010 tiveram inicio no dia 18/02/2010 com a reunião administrativa, onde realizou-se reflexão a partir da Poesia “Não Sei”, de Cora Coralina, socialização do quadro de rendimento anual referente a 2009, comparando com dados anteriores e resultados da Provinha Brasil, discussão do calendário escolar e levantamento das necessidades de cada escola para serem encaminhadas à Secretaria de Educação e de Saúde, no caso da dedetização dos prédios para combate aos barbeiros e morcegos.

A seguir houve a participação da Secretária Ildelita Roque, onde a mesma apresentou alguns programas a serem realizados pela SME, prestou esclarecimentos acerca das mudanças no Plano de Cargos e Salários e outros assuntos questionados pelos professores.Dando prosseguimento, os professores iniciaram a socialização de experiências exitosas desenvolvidas nas escolas, como sugestão para serem retomadas em 2010. As professoras Maria Rute da Silva e Maria das Graças Macedo iniciaram o relato da experiência de intercâmbio entre suas unidades escolares, uma localizada no município de Parelhas e a outra no município de Santana do Seridó.

O intercâmbio, com os alunos se correspondendo através de cartas, aconteceu durante todo o ano letivo e segundo relato das professoras contribuiu significativamente para o desenvolvimento da leitura e escrita dos alunos, auto-estima e motivação para aprender, pois nas cartas os mesmos partilhavam suas dificuldades e sucessos, ajudando-se mutuamente. Foram apresentadas várias correspondências e depoimentos dos alunos, proporcionando ao grupo um momento de emoção pelos sentimentos expressados pelas crianças. Ao final do mês de dezembro a Secretaria de Educação promoveu o encontro das crianças das duas escolas, pois as mesmas sempre expressavam o desejo de se conhecerem e trocarem mensagens pessoalmente. A respeito desse momento as professoras relataram as atividades que foram desenvolvidas, todas planejadas pelos comitês de trabalho de ambas as escolas.

A experiência despertou o interesse de todo grupo e deverá acontecer em outras escolas durante o ano de 2010.O grupo manifestou a importância desse momento de socialização de experiências, pois o mesmo favorece a troca de idéias e contribui para o aperfeiçoamento da prática pedagógica quando o fazer de cada um é partilhado, tornando-se referência para todos.

Como forma de organizar as atividades durante a formação e estimular a co-gestão e co-participação, elaborou-se o cartaz de combinados, ressaltando a importância da pontualidade, participação e administração do tempo na realização das atividades. Também foram formados três comitês de trabalho para contribuir com as atividades: Comitê de Comunicação, Comitê de Registro e Avaliação e Comitê de Animação, que se reuniram para elaborar seus respectivos planos de trabalho.

As atividades do dia foram encerradas com um momento de avaliação e mensagem de agradecimento.O segundo dia do Ciclo Pedagógico, em 19/02/2010, teve início com a acolhida dos professores através do vídeo “Bom Dia” e cartão com mensagem. A seguir houve a participação do Comitê de Comunicação com informes referentes à organização das atividades do dia e divulgação de notícias e fatos em evidência na educação a nível nacional, estadual e municipal. O Comitê de Animação também teve sua participação levando o grupo a cantar e dançar com a música Nordestino Lutador, de Flávio José.Seguindo com as atividades realizou-se o estudo da temática “Concepções e conceitos em Educação do Campo: interface com um projeto sócio-territorial de vida no campo”, tendo como referência o material apresentado pelo Professor Márcio Azevedo. A discussão foi ampla, com participação intensa do grupo, enfatizando os conceitos de rural e de campo e ressaltando o compromisso da educação em colaborar para que os sujeitos do campo sejam reconhecidos e tenham sua identidade recuperada como trabalhador e trabalhadora deste espaço que não é meramente geográfico, mas caracteriza-se pelas relações sociais nele estabelecidas. O momento de estudo do tema foi finalizado com uma reflexão a partir do poema “A Verdade Dividida”, de Carlos Drummond de Andrade.

Após a reflexão deu-se inicio a divisão dos grupos a partir de uma dinâmica com trechos de uma poesia de Patativa do Assaré. Com os grupos divididos deu-se inicio ao estudo do texto “Política de Educação do Campo: concepções, processos e desafios”, para construção de uma linha de tempo.Os grupos realizaram a leitura, discussão e construção da linha de tempo, ficando a apresentação para o dia seguinte.Finalizando as atividades do dia o Comitê de Avaliação e Registro conduziu um momento de avaliação e apresentou o relatório com o registro detalhado de todos os acontecimentos.Dando continuidade as atividades no dia 20/02/2010, deu-se a acolhida dos professores com slides e mensagem. Os Comitês de Animação e Comunicação demons-trando uma participação ativa e comprometida trouxeram notícias, brincadeiras e piadinhas educativas para animar o momento.

Deu-se início então a apresentação do primeiro grupo com o tema “Educação Rural no Brasil”, oportunizando a discussão de marcos históricos da educação, desde as concepções de educação rural, condicionada a planos inferiores, até as lutas e conquistas em prol da Educação do Campo, ressaltando o papel dos movimentos sociais como protagonistas dessas lutas.O segundo grupo abordou o tema “Política de Educação do Campo: ampliando os limites da concepção de rural”, situando na história momentos determinantes para a superação da educação rural associada a uma educação atrasada e de pouca qualidade, vislumbrando uma educação pensada pelos e para os povos do campo, conside-rando sua diversidade, sua identidade e sua pluralidade social, econômica, histórica e cultural.O terceiro grupo enfatizou as questões abordadas pelos demais, só que no con-texto estadual, traçando a linha de tempo com os marcos históricos da “Política de E-ducação do Campo no Rio Grande do Norte: concepções e desafios”.

Após a apresentação, o grande grupo se mobilizou para construir uma única linha de tempo a partir das três que foram elaboradas pelos subgrupos, observando pontos convergentes e divergentes entre as mesmas, ilustrando assim os marcos históricos que impulsionaram as mudanças que se foram processando no sistema educacional brasileiro.Dando prosseguimento tivemos o estudo do texto “Fundamentos que embasam a proposta pedagógica da Escola Ativa”, com leitura circular e discussão no grupo, sempre fazendo a relação com as Diretrizes Operacionais para a Educação do Campo e com a realidade das escolas.Como forma de enriquecer as discussões foram apresentados os slides “Educação do Campo”, logo após o Comitê de Avaliação e Registro apresentou seu relato de vivências e conduziu a avaliação das atividades do dia, que foram encerradas com a reflexão “Oração do Matuto”.

No quarto dia de formação, em 22/02/2010, as atividades tiveram início com acolhida dos professores através de dinâmica, cartão com mensagem e reflexão a partir dos slides “Mãe tartaruga e filho hipopótamo”, este já introduzindo a temática da diversidade a ser discutida. Em seguida os Comitês de Comunicação e Animação participaram divulgando as novidades e conduzindo um momento de entretenimento com música coreografada e histórias engraçadas.Dando continuidade foi apresentado o vídeo de sensibilização “Ciganos”, o qual proporcionou o deslumbre do grupo com a beleza e riqueza da cultura cigana, bem como a discussão acerca dos mitos e preconceitos que a envolvem. O grupo buscou situar a presença cigana na história local, resgatando histórias e vivências pessoais. Também foi socializado o material disponibilizado pela antropóloga Jussara Galhardo e Gorete Nunes, do Grupo Paraupaba, onde as mesmas apresentam a situação das comunidades indígenas existentes no estado, como vivem, suas dificuldades e desafios em preservar sua cultura. O grupo manifestou o interesse em aprofundar o estudo a respeito da questão indígena no RN, visto que esta temática praticamente não é abordada nos livros didáticos, principalmente quando se trata da situação dessas comunidades nos dias atuais.

A valorização da diversidade é trabalho para todo dia e necessita de materiais e metodologia adequados. Para que as crianças aprendam a lidar com as diferenças com sensibilidade e equilíbrio é preciso que tenham familiaridade com a diversidade, porém o que geralmente acontece é um trabalho esporádico, em projetos com duração definida ou em datas comemorativas. Essas e outras questões foram discutidas pelos professores a partir do texto “Diversidade sempre”, que foi lido e debatido no grupo.Prosseguindo com a discussão em torno da temática da diversidade, deu-se a leitura circular comentada do texto “Novas perspectivas: A representação do negro na literatura brasileira” e apresentação de algumas obras literárias que podem contribuir de forma significativa para que as crianças possam ser despertadas para o mundo da leitura e da escrita vendo as diferenças de raça, história e cultura de forma positiva, estimulando-as a respeitar e valorizar essas diversidades. Os professores apreciaram a discussão e as sugestões de obras, sugerindo que algumas sejam selecionadas para serem trabalhadas em forma de oficinas em outro encontro, aprofundando assim o trabalho com as mesmas, ficando agendada para o próximo microcentro uma oficina a partir do livro “Menina bonita de laço de fita”, de Ana Maria Machado.Finalizando as atividades o Comitê de Avaliação e Registro conduziu a avaliação e apresentou o relato elaborado no decorrer do dia.

O último dia da formação de 40h realizou-se em 23/02/2010, iniciando-se com acolhida, mensagem inicial e participação dos Comitês de Animação e Comunicação. A seguir a supervisora do Centro de Ensino Rural, Rúbia Kátia, coordenou a oficina “Construindo registros e relatos”, onde os professores puderam construir uma carta íntima, uma minibiografia, vivenciar a descoberta da personalidade e discutir a importância do registro no cotidiano da escola. Enfatizou-se os elementos e instrumentos da estratégia Escola Ativa que favorecem este aprendizado, tanto os de uso individual quanto os construídos coletivamente. A supervisora ainda orientou os professores quanto ao registro dos avanços e dificuldades dos alunos, esclarecendo dúvidas e enfocando pontos observados nos relatos feitos pelos mesmos na ficha individual do aluno e nos diários de classe.Após esta vivência partiu-se para a organização referente ao início do ano letivo, com elaboração de cronograma de encontros com pais e comunidade de forma que a equipe da Secretaria de Educação pudesse participar de todas, partindo-se então para o planejamento dos primeiros 15 dias de aula. Foram pensadas atividades para recepcionar as crianças, acolhendo-as com alegria e favorecendo o entrosamento e a socialização, principalmente dos alunos novatos que vivem sua primeira experiência na escola. Também priorizou-se o trabalho com atividades lúdicas, a folha de freqüência, o cartaz de combinados, a caixa de sugestões, a reestruturação dos comitês e seus respectivos planos de trabalho nas escolas onde os mesmos já estão implantados e o início do processo de sensibilização para formação dos mesmos nas escolas que ainda não os tem. Os primeiros dias também são destinados ao diagnóstico, com visitas onde é possível e utilização da ficha familiar.

Entendendo-se que avaliar é indispensável em qualquer atividade, mediante conclusão do ciclo pedagógico, o Comitê de Avaliação Registro aplicou dinâmica possibilitando que os participantes apontassem os pontos positivos e negativos da formação. O grupo foi unânime em reconhecer a relevância da temática discutida, explicitando que a metodologia aplicada foi satisfatória, pois favoreceu o entendimento e proporcionou participação de todos. O tempo foi bem aproveitado e a pauta foi vencida conforme planejado, os comitês atuaram com responsabilidade e compromisso e o grupo cumpriu com os combinados. Como negativo foi citado o espaço, sugerindo-se que o próximo encontro se realize em local mais amplo e arejado.Após a avaliação e leitura do registro realizado pelo comitê, as atividades foram encerradas com um momento de confraternização.

Jailda dos Santos Oliveira - diretora e formadora

terça-feira, 23 de março de 2010

Inscrições abertas para especializações

Cursos de Pós-Graduação em LIBRAS e Pós-Graduação em História e Cultura Afro-brasileira.
Inscrições: 22/03 a 10/04/2010

Aula Magna do Curso em Natal/RN:
24 de abril de 2010

Local das Aulas:
Auditório da Casa Durval Paiva de Apoio à Criança com Câncer
Rua Clementino Câmara, 234
Barro Vermelho
Natal - RN - 59030-330
Maiores Informações
Para qualquer esclarecimento, informações e/ou inscrições estamos à disposição:

ASNAT - ASSOCIAÇÃO DE SURDOS DE NATAL
Av. Junqueira Aires, 536 – Cidade Alta
Natal –RN – 59025-280
(84) 9114 0840 / 3201 8024
3663 3477 / 8874 1536 / 9604 1168

segunda-feira, 22 de março de 2010

Rir é o melhor remédio


HOMENS, SEGUNDO VINÍCIUS DE MORAIS

Os Homens.
Os homens bons, são feios.
Os homens bonitos, não são bons.
Os homens bonitos e bons, são gays.
Os homens bonitos, bons e heterossexuais, estão casados.
Os homens que não são bonitos, mas são bons, não têm dinheiro.
Os homens que não são bonitos, mas que são bons e com dinheiro, pensam que só estamos atrás de seu dinheiro..
Os homens bonitos, que não são bons e são heterossexuais, não acham que somos suficientemente bonitas.
Os homens que nos acham bonitas, que são heterossexuais, bons e têm dinheiro,
são covardes.
Os homens que são bonitos, bons, têm dinheiro e graças a Deus são heterossexuais, são tímidos e NUNCA DÃO O
PRIMEIRO PASSO!
Os homens que nunca dão o primeiro passo, automaticamente perdem o interesse em nós quando tomamos a iniciativa.
AGORA...
QUEM NESSE MUNDO ENTENDE OS HOMENS?
Moral da História:
" Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas, e
é dever da mulher pisoteá-los e mantê-los no escuro até
que amadureçam e se tornem uma boa companhia pro jantar "
PARA:
MULHERES INTELIGENTES QUE PRECISEM DAR UMAS RISADAS...
E PARA HOMENS CAPAZES DE LIDAR COM ISSO!
'Mulheres existem para serem amadas, não para serem
entendidas.'
Vinicius de Morais

Enviado pela colega Janete Seko: http://janetehseko40.blogspot.com/

Convite

Recebi um email do amigo Dedé de Arnaldo, convidando para uma discussão para reativação do Centro Acariense, entidade que tem o objetivo de reunir os conterrâneos que residem em Natal.

"Caros/as conterrâneos/as,

Por circunstâncias diversas muitos acarienses tiveram que deixar sua terra querida e migraram para Natal. Com a ideia de realizar encontros de conterrâneos/as, alguns acarienses criaram o Centro Acariense, uma entidade que realizou eventos memoráveis. Agora surge a ideia de reativarmos o centro. Para tanto convidamos os/as conterrâneos/as para um bate papo, que será realizado no próximo dia 07 de abril, às 19 horas, na sede do Condomínio do Bairro Latino, em frente ao portão de entrada do Carrefour. Vamos recriar aquela atmosfera de congraçamento e reaproximar amigos dos tempos do Acari.
Contamos com sua presença.

Dedé de Arnaldo"

sábado, 20 de março de 2010

Grupo Acordes lança seu primeiro CD


Nasce mais uma banda em Acari. "Grupo Acordes", esse é o nome do mais novo grupo musical da cidade. Formado por três acarienses, o conjunto acaba de gravar o seu primeiro CD. Com um estilo sertanejo-acústico, o grupo promete agradar com um som limpo e simples de percussão (Lucimário), violão e voz (Nelder) e Contra-baixo (Pedro Bass).Nelder Medeiros, idealizador, compositor e cantor do grupo, diz que espera o reconhecimento dos amigos acarienses: “Nós gravamos este cd pra mostrar nosso trabalho e ao mesmo tempo arrecadar dinheiro com a venda do mesmo para compra de equipamentos. Agradecemos desde já os nossos parceiros do comércio que tem nos ajudado com patrocínio para a confecção das capas. Entre alguns sucessos como 'Pirraça', 'Você não sabe o que é o amor', 'Fogo e paixão', estão nossas músicas: 'Agora vai dar certo', 'Não te quero mais', 'Ela é pistoleira' e uma versão da música de Jason Mraz 'Pra me fazer viver feliz'. No momento estamos na montagem do repertório, e dentro de um mês estaremos prontos pra tocar ao vivo em Bares, restaurantes, hotéis e outros ambientes pequenos”, disse.


Fonte: http://romeudantas.blogspot.com



P.S.: Nelder é meu primo, muito esforçado e talentoso!

Dia do Blogueiro


Visitando o blog da Juliana Olivencia (http://layoutparablog.com) descobri que hoje é o dia do blogueiro! Mas, gente, até esse dia tem?!
Como não deveria ter? Devemos também ser lembrados, já que passamos várias horas nos dedicando a esses filhinhos que de muita atenção necessitam.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Mais de 13 mil docentes estão inscritos na Plataforma Freire

Pará e Mato Grosso do Sul estão entre os estados em que houve maior procura pelo curso de especialização em educação infantil por parte dos professores das redes públicas municipais. O curso é oferecido por diversas universidades de 16 estados e do Distrito Federal, de acordo com o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, previsto no Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE).
Estão pré-inscritos 13.068 candidatos a 3.925 vagas. O Plano Nacional de Formação é destinado a professores sem formação adequada, que estejam em exercício nas escolas públicas estaduais e municipais. As inscrições são feitas por intermédio da Plataforma Freire, um sistema desenvolvido pelo MEC especificamente para esse fim. As inscrições se encerraram em 28 de fevereiro. Nas 17 unidades da Federação que oferecem o curso, estão pré-inscritos 13.068 candidatos a 3.925 vagas.No Pará, o curso será ministrado pela Universidade Federal do Pará (UFPA) em polos distribuídos em cinco municípios. A instituição abriu 240 vagas, sendo 40 por polo.
Concorrem 1.344 educadores. Já em Mato Grosso do Sul, o segundo estado com maior número de pré-inscritos, o curso será oferecido pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) em polos distribuídos entre 11 municípios. São oferecidas 520 vagas, 40 por polo. 1.283 educadores fizeram a pré-inscrição.De acordo com Simone Medeiros, da coordenação de formação de professores da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC, as secretarias municipais de educação onde trabalham os 13.068 educadores têm prazo até dia 14 deste mês para validar a inscrição.
Depois de confirmar o interesse do município pela qualificação dos professores, a secretaria deve encaminhar a relação de nomes para o ministério, que repassará os dados para as 17 universidades federais.Caberá a cada universidade, explica Simone, fazer a seleção dos candidatos. A seleção pode ser por análise de currículo, entrevista, apresentação de carta do professor sobre o que pretende com a formação.
A Secretaria de Educação Básica prevê que, cumprido o ritual de validação e seleção, o curso começará em maio.O objetivo da qualificação, que une o Ministério da Educação, 17 universidades federais e mais de 70 prefeituras, é qualificar quadros das redes públicas de educação básica e, a partir daí, criar uma rede nacional de formação nos municípios. A especialização em educação infantil tem 360 horas, duração de 18 meses, é presencial e gratuita. É destinada a professores, coordenadores e diretores de creches e pré-escolas das redes pública e privada (filantrópica, comunitária ou confessional) que mantenha convênio com o poder público, e também a equipes de educação infantil dos sistemas de ensino.
A tabela apresenta a relação das universidades, o número de polos, as vagas disponíveis e o número de pré-inscritos. Cada turma tem entre 25 e 60 vagas.
Ionice Lorenzoni

Fonte: www.portal.mec.gov.br

quinta-feira, 18 de março de 2010

Homenagem

A Câmara Municipal de Acari aprovou por unanimidade, em sua sessão ordinária de terça-feira (9) o projeto de lei que institui no calendário municipal o Dia de Combate as Drogas e a Conscientização da Juventude “Zaira Isis Lacerda Dantas”.
De autoria do presidente da Câmara, Ismael Medeiros (DEM), o Projeto de Lei tem como objetivo chamar a atenção da comunidade sobre a urgente preocupação em discutir a temática do combate às drogas em todos os setores da sociedade. “A intenção é que a administração pública através das suas secretarias e em parceria com as escolas e a comunidade possam promover atividades educativas de prevenção ao uso de drogas através de palestras, competições esportivas e culturais, atendimentos médicos, voltados para a juventude, e por meio disso conscientizar a todos dos riscos que o ser humano sofre quando conhece o sub mundo das drogas”, destacou o vereador.
O Projeto foi sancionado nesta sexta-feira (12) no gabinete do prefeito Antônio Carlos. A solenidade que foi transmitida pela FM Gargalheiras contou com a participação dos vereadores, Leonardo Ferreira, Marineide Alves, Zuil Ribeiro, Chico Dias, Albervânia Medeiros, além do propositor da matéria Ismael Medeiros. Junto ao prefeito Tom estava os secretários José Fernandes (saúde), Francinete Ferreira (Educação), Marluce Medeiros (administração), Adaltiva Medeiros (assistência social), técnicas Casa da Família e policiais representantes do Pelotão Esperança – Polícia Mirim, e PROED (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência).
Quem usou da palavra foi o prefeito Antonio Carlos, que após sancionar a Lei disse que a cidade estará a partir do próximo ano unindo forças junto de toda administração mbunicipal para que esta data seja lembrada como um alerta aos jovens e suas famílias. Ismael agradeceu o apoio de todos e pediu empenho para que as iniciativas plantadas no dia de combate pudessem se estender por todo ano, e que o fato da morte de Zaira servisse como alerta, para que não voltasse se repetir.
Liduína Lacerda, mãe de Zaira, num discurso emocionado agradeceu a homenagem póstuma, mas confessou não querer receber tal homenagem naquelas circunstâncias, preferia que a filha estivesse viva sendo lembrada por coisas boas, mas infelizmente por motivos adversos a sua vontade o destino não havia lhe proporcionado isso.
O Dia de Combate as Drogas e a Conscientização da Juventude foi incorporando no calendário oficial do município no dia 14 de março, data em que se completa três anos do assassinato da jovem Zaira Isis. Zaira foi morta em sua residência pelo seu ex-namorado, que logo após assassiná-la cometeu suicídio. Na época, o fato chamou atenção de Acari e repercutiu em toda imprensa do estado.


Texto retirado do blog de Lourdinha Dantas, Compartilhando Saberes: http://lourdinhadantas.blogspot.com

Inscrições abertas

O pólo de Jardim do Seridó da IBRAPES - UVA está com as inscrições abertas para graduação em Pedagogia e especialização em Gestão Educacional.
Tratar com Marli no telefone 9929-0854

Aluna querida


Hoje recebi um recadinho lindo de uma aluna da primeira turma que ensinei: a 2ª série do Ensino Fundamental na antiga Casa de Menores Tomas Sebastião, que hoje nem existe mais.
A aluna, Andreza, é estudante de Letras (!) e muito dedicada pelo que pude perceber, e além disso tem o lado espiritual também bem estruturado.
Estou muito orgulhosa dos frutos desabrochando.

Ludmila Ferber - Nunca Pare De Lutar
"O que vem pra tentar ferir o valente de Deus em meio às suas guerras?
Que ataque é capaz de fazê-lo olhar pra trás e querer desistir?
Que terrível arma é usada pra tentar paralisar sua fé?
Cansaço, desânimo logo após uma vitória,a mistura de um desgaste com um contra-ataque do mal, a dor de uma perda ou a dor da traição, uma quebra de aliança que é a raiz da ingratidão.
Se alguém está assim preste muita atenção ouça o que vem do coração de Deus:
Em tempos de guerra, nunca pare de lutar!
Não baixe a guarda, nunca pare de Lutar!
Em tempos de Guerra, nunca pare de adorar.
Libera palavra, profetiza sem parar:
O escape, o descanso, a cura, recompensa vem sem demora."

Dia da Poesia

Estive adoentada e não tive como postar nada nesses últimos dias. Mas lembre-me da minha querida poesia, que tanto me emociona e resolvi homeageá-la, já que todo dia é dia de ler e escrever, para nós que gostamos da leitura.

SONETO ANTIGO
Responder a perguntas não respondo.
Perguntas impossíveis não pergunto.
Só do que sei de mim aos outros conto:
de mim, atravessada pelo mundo.

Toda a minha experiência, o meu estudo,
sou eu mesma que, em solidão paciente,
recolho do que em mim observo e escuto
muda lição, que ninguém mais entende.

O que sou vale mais do que o meu canto.
Apenas em linguagem vou dizendo
caminhos invisíveis por onde ando.

Tudo é secreto e de remoto exemplo.
Todos ouvimos, longe, o apelo do Anjo.
E todos somos pura flor de vento.

Cecília Meireles

P.S. Eu tinha esquecido de colocar o nome da poetisa, me desculpem.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Análise do livro - Mariclécia

ANÁLISE DO LIVRO O EMPINADOR DE ESTRELA DE LOURENÇO DIAFÉRIA

O livro o Empinador de estrela de Lourenço Diaféria, narra à história de um grande garoto conhecido como o empinador de estrela, que descobre na escrita uma forma de rabiscar coisas que acontecem na vida. Foi incentivado pela professora Dona Furquim, uma das protagonistas desta novela. Este livro é uma espécie de diário e nele o garoto conta tudo que acontece com ele durante a terrível doença de seu Pai. Fica bastante aflito, mais consegue encontrar na brincadeira a distração necessária para continuar a acreditar na vida. Passa por uma grande tristeza por não ter em casa nem seu Pai nem sua Mãe ficando na casa da Tia Nhanhá, esperando os pais voltarem do hospital. Por ser um garoto alegre, ele não dispensa suas diversões, como jogar bola, brincar com sua formiga Flanela que morava numa caixa de fósforos e ainda sua engraçada forma de colecionar lagartas. Depois da operação o Pai fica melhor. Com uma grande alegria invadindo seu coração ele decide soltar sua amiga Flanela e constrói uma enorme pipa num formato de estrela para falar ao povo de sua cidade a maravilhosa noticia sobre seu Pai. A estrela enfeitou o céu, distraiu o pensamento de quem olhasse para ela, encantou até o prefeito da cidade, assim como, os pássaros que voavam perto da estrela
Todos queriam saber o motivo da alegria do menino. Ele respondeu que sua felicidade era por causa de seu Pai. E ficou conhecido até hoje como um garoto empinador de estrela.
A história ocorre numa cidadezinha do interior da cidade grande e é apresentada em vários dias. O espaço é caracterizado pelas ações do garoto, em casa, na escola, no clube de futebol, no quintal de casa passando horas e horas lá e na casa da Tia Nhanhá.
A novela apresenta uma linguagem padrão, com verbos bem empregados. “ Todos falamos nossos nomes” ( pág.19 ). Em todas as passagens do livro os verbos fazem à estruturação do texto. Há também palavras que possuem vários sentidos, só que neste livro, elas são explicadas pelo sentido com que são empregadas, como: arreliar, que significa aborrecer ou bogari, que significa arbusto da família das oleáceas. Assim, como várias outras palavras que fazem parte do texto.
Os personagens da novela são bastante especiais, porque se revelam amigos e companheiros do empinador de estrela. São vários personagens cada um com sua particularidade. O texto é narrado em 1° pessoa, o próprio garoto conta a história, como já foi falado, o livro é uma espécie de diário. O que caracteriza o narrador do texto é a simplicidade de moleque que levava a vida na fé e alegria
O livro aborda o tema esperança. O coração do garoto era grande, capaz de mostrar o amor que ele possuía a distâncias. Quando soube da recuperação do pai saiu correndo pelas ruas, procurando alguém pra conversar, pra contar a maravilhosa novidade, sentiu uma enorme vontade de inventar coisas, brincadeiras, etc. A fala do garoto é esperançosa, que deseja que o bem se espalhe entre todos, que os sonhos aconteçam sem a interrupção alheia. Quanto mais corria imaginado um jeito de mostrar sua felicidade, pensava em seu Pai, no quanto o admirava no quanto será bom vê-lo voltar a trabalhar na cerâmica.
Sua imaginação o fez criar uma bela pipa, porque queria mostrar felicidade a todos os habitantes da sua cidade. Fez a estrela maior, o sol, que iluminaria a vida no céu. Pois a pipa desempenha um das maiores invenções do homem e foi pensando nisso que a pipa foi feita. A pipa era um grande enfeite no céu, encantava. Todos cumprimentaram o garoto, até o prefeito da cidade, era coisa bonita de se ver, qualquer um se emocionava. A atitude do garoto foi a mais humilde possível, ele só queria mostrar a enorme alegria que estava sentindo. Depois de tanta admiração e dedicação o garoto ficou conhecido como o Empinador de estrela.

Análise do livro - Mariclécia

ANÁLISE DO LIVRO EU CHOVO TU CHOVES ELE CHOVE

O texto teatral Eu chovo, tu choves, ele chove recebeu 1° prêmio no concurso promovido pelo teatro Guairá em 1976. A peça narra a história de muitos personagens cuja função é mostrar um cenário cheio de fantasia e humor. Os Intérpretes que completam a ação do texto são dez ao todo, personagens inventados com muita originalidade e preciosidade que ilustram um cenário composto de ações surpreendentes, que misturam realidade e fantasia, deixando o leitor surpreso ao ler o próximo ato. No texto dramático há a apresentação de Ana Maria Machado para o livro sobre todas as partes que compõem o texto, ela fala sobre a autora do livro Sylvia Orthof nas primeiras páginas do livro antes de começar a história, exemplificando e comentando todos os passos utilizados por Sylvia para compor a texto dramático. Um texto que também pode ser encenado aproveitando qualquer elemento ou personagem, pois a autora, Sylvia, sabia tudo a respeito de teatro, por isso que construiu boas histórias teatrais.
O texto dramatiza uma incrível aventura em que Chuva, Pingo de Chuva, Sereia, Chuveiro, Chuvisco, Elefante, Ovo, Ova de Peixe, Sol e Galinha participam. É uma completa diversão que conquista completamente o leitor.
Os fatos ocorreram mostrando um ambiente onde se desenrola a ação dos personagens. Como o tempo é algo muito importante em qualquer história, devemos compreender que ele é indispensável na hora de estabelecer a ordem em que os fatos vão acontecendo. Por se tratar de objetos e seres inanimados, como: chuvisco, chuveiro, sereia, pingo de chuva e nuvem, transformados em seres humanos, ou seja, se tratando de uma peça de teatro, fica claro que, numa peça o tempo se condensa, limitando o período de cada ato.
Para se saber o tempo ocorrido, foi descoberto que o tempo de uma história deveria ser ou Cronológico ou Psicológico. O primeiro citado demarca a ocorrência em seqüência das coisas e o segundo, é expresso por algum tipo de desejo. Na peça estudada, ocorre muita chuva, são os próprios personagens que apresentam o tempo, pois são eles mesmos os responsáveis pela ação de toda a trama. Ocorre chuva, trovoadas, o tempo é instável, inconstante, uma hora estar chovendo e outra hora estar ensolarado, até porque, os personagens estão voltados para chuva, para água, para o molhado. Portanto, foi descoberto que o tempo da peça é ora cronológico, ora psicológico, pois os diálogos, o conflito, os musicais, os elementos que ilustram a ação dos personagens identificam o tempo ocorrido. Por isso podemos perceber a passagem que identifica o tempo chuvoso.
O espaço é dispensado em se tratando de uma peça de teatro, pois o cenário não é o elemento mais importante, o que prevalece é a fala dos personagens, o dialogo vivido e os conflitos.
Mas, iremos mostrar o ambiente em que as ações foram vividas como: ao ar livre, no galinheiro da galinha, na poça da Sereia, o mar e no Oceano Índico e Pacífico. É uma confusão tentar entender o verdadeiro ambiente onde se encontra as cenas. Quando tudo ainda está em terra fica tudo muito claro, mas, quando entra em cena a busca da casa da Sereia, tudo se torna divertido e misterioso.
Os personagens do texto teatral explicam toda a ação dramática. Há muito humor na linguagem, com bastante musicalidade e diversão. Eles apresentam-se de forma espontânea e como são bastante divertidos, despertam a curiosidade do leitor fazendo com que a leitura crie vida.
Iremos ver agora os aspectos da linguagem, ilustrando primeiramente o uso do coloquialismo, pois o gosto pelas palavras populares facilita o entendimento do leitor, especialmente porque se trata de um texto dramático e o uso da linguagem oral é recomendado. As palavras: puxa droga, arrumar, são encontradas no texto dando um esquema diferente ao vocabulário permitido. Surge também várias onomatopéias ( “pon, pon, pon,” “ploc, ploc, ploc”), ilustrando a obra e divertindo o leitor. Há também um grande aproveitamento de rimas, todas voltadas para as melodias folclóricas e cantigas tradicionais, que facilitam a aproximação leitor e livro. Na primeira música do livro temos a melodia de ciranda-cirandinha.
O humor é uma virtude contagiante que ao entrar em contato diariamente com a vida é capaz de transformar em detalhe a seriedade de qualquer um. Rir faz bem e a criança pode encontrar a fórmula de dar risadas se puder encontrar no diferente o meio mais apreciativo para romper com os estereótipos que a sociedade insiste em acumular. Sylvia Orthof detestava as coisas certinhas, ela gostava mesmo é de transformação, de poder modificar as coisas e de criar a vontade. Ela usou vários argumentos para atrair o público, usou guarda-chuvas, chuveiros, cortinas de plásticos, toucas de banho, escova, enceradeira e transformou todos em fantoches maravilhosos para abrilhantar a sua brincadeira, assim como, outros seres mágicos, como, ovo, galinha sereia, nuvem e príncipe. Todos esses objetos e seres foram trazidos até o universo fantasioso de Sylvia para nos fazer rir e sonhar.
O teatro é algo que está sempre em movimento, em constante mudança, especialmente por que a independência com que os personagens se apresentam causa uma impressão nova e viva, pois, por se tratar de teatro, o espírito vivo que compõe o cenário visto pelo leitor ou pelo público, multiplicará as chances da história aumentar o nível que arte possui.

Memorial de Leitura - cursista Mariclécia


Eu nunca fui amante da leitura, sempre preferir fazer outra coisa ao invés de ler. Para os leitores preguiçosos tudo acontece: dor nos olhos, sono, fadiga, fome, etc. tudo vem à tona na hora de ler. Eu era assim, uma leitora preguiçosa.
Quando eu era criança eu tinha problemas para ler algumas letras, não pronunciava as letras G, Q e C. E minha Mãe, sendo uma professora boa que era, fez um tabuleiro de leitura para eu treinar as letras em frases. E assim, todos os dias eu fazia, até aprender tudo. Só que isso não foi o suficiente, mesmo com o incentivo eu não adquirir o hábito de ler.
Não li no ensino fundamental e no ensino médio li apenas um livro que me marcou bastante, “Uma luz no fim do túnel”. Ele também ficou pra trás com sua história e sua vontade de me conquistar. Mas acontecia uma coisa engraçada, eu adorava escrever, escrevia histórias e poesias, brotava algo dentro de mim incontrolável, eu adorava escrever. Hoje, eu publico minhas façanhas no recanto das letras.
Durante o cursinho lia apenas o resumo das obras para o vestibular, em seguida comecei a ler livros espíritas: Zilbia Gasparetto, por causa de alguns problemas espirituais e alguns de auto-ajuda: Augusto Cury. Mas eles também não me encantaram.
Quando entrei pra faculdade, mais precisamente no 3° período eu tive de verdade o meu primeiro contato com a leitura. Eu conheci a literatura e todo o universo mágico dos livros veio ao meu encontro. Eu estava fascinada e louca pra ler cada vez mais. A literatura me mostrou o caminho a seguir. E eu me perguntava: Por que ninguém nunca nos apresentou antes? E eu entendi depois, poucos a conhece. Então eu li bastante e conheci muita gente legal como: Platão, Aristóteles, Machado de Assis, Cecília Meireles, Clarisse Lispector, Guimarães Rosa, Shakespeare, Dantes Alighieri, Virginia Woolf, Monteiro Lobato, Lya Luft e muitos outros que estão no meu coração vivendo e deixando maravilhas.
Tornei-me bolsista de literatura no quinto período por causa da leitura, queria ser como minha professora, queria adquirir aquele conhecimento lindo que só a leitura nos dar. Estudei muito, apresentei trabalho fora da faculdade, participei de cursos, de palestras sobre a leitura e li o mundo. Foi uma pena começar tarde, perdi tanto tempo, ainda falta tanto pra eu alcançar o que eu quero...
A leitura finalmente me encontrou e me enfeitiçou. Foi difícil adquirir o gosto, pois esse gosto poucos possui. Falo do prazer que ela exerce, da interação que existe entre texto e leitor, esse prazer move montanhas.
Esse encontro me trará muita alegria, por causa da leitura passei no mestrado na UFCG de Campina Grande, e novamente em literatura, minha amante e companheira. Sou uma professora que um dia sonhou sem ser como outra professora, eu estou cause lá, terei que ler muito eu sei, ler o mundo através dos livros e levar esse encanto a outras pessoas que não encontram o prazer de ler.

quarta-feira, 10 de março de 2010

VIII Encontro dos Acarienses - São Bernardo do Campo/SP


Minha amiga Lígia e seu irmão Lúcio mais esposa e amigos

Meu primo Didi de tio Justo Cassiano representando a família
Fonte: www.acaridomeuamor.zip.net

terça-feira, 9 de março de 2010